Castelo de Guimarães e Paço dos Duques registaram aumento do número de visitantes

  • Publicado em Sociedade
Paço dos Duques registou crescimento de 61,7%

Os monumentos e museus do Norte receberam 1,5 milhões de visitantes em 2016, uma subida de aproximadamente 82% em relação ao ano anterior, anunciou esta quarta-feira a Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN).

Entre os monumentos e museus que se espalham pela região Norte, destacam-se o Castelo de Guimarães e o Paço dos Duques, que registaram um total de 261.917 e 487.733 visitantes, respetivamente.

A instituição referiu, em comunicado, que o novo sistema de bilhética do Castelo de Guimarães entrou em funcionamento apenas em julho, pelo que se estima que o número total de visitantes possa ser ainda mais elevado.

O Paço dos Duques de Bragança, em Guimarães, continua a destacar-se como o espaço museológico tutelado pela DRCN que mais visitantes atrai, tendo registado um crescimento de 61,7% no número de entradas durante o ano 2016.

Também o número de visitantes estrangeiros tem vindo a aumentar e, só no ano transato, representou 68,7% do total de acessos ao Paço dos Duques.

Com uma subida do número de visitantes igualmente expressiva encontra-se o Museu de Alberto Sampaio, também em Guimarães, que, no ano passado, totalizou 88.751 entradas, representando um acréscimo de 20,9% em comparação com o período homólogo.

Nos últimos quatro anos, o Museu de Alberto Sampaio tem vindo a registar subidas significativas na afluência de públicos, tendo mais do que duplicado o número de visitantes entre 2013 e 2016 (passou de 42.280 em 2013, para 88.751 entradas em 2016, o que representa uma subida de 109,9%).

O conjunto de sete museus tutelados pela DRCN registou uma subida de 36,7% no número de entradas, salientando-se ainda os aumentos de visitantes no Museu dos Biscainhos, em Braga (12,8%), e do Museu da Terra de Miranda, em Miranda do Douro (14,6%).