Vitória. Luís Castro quer vencer em Chaves com «exibição agradável»

  • Publicado em Desporto
Vitória joga este domingo em Chaves (17:30 horas)

O treinador Luís Castro afirmou hoje que o Vitória quer conquistar três pontos, com uma boa exibição, de preferência, no reduto do Desportivo de Chaves, em jogo da 11ª jornada da Liga.

Prestes a reencontrar a equipa que orientou na época passada, o técnico frisou que os vitorianos, atualmente no 7º lugar, com 15 pontos, só pensam em ganhar, apesar de esperarem um “jogo difícil” frente a um conjunto que, apesar de ser o 18º e último da tabela, já teve de defrontar os quatro primeiros classificados da prova - FC Porto, Sporting, Braga e Benfica.

“O objetivo claro do jogo é conquistar os três pontos e aliar a esses três pontos uma exibição agradável, que nos consiga satisfazer com o que fizemos. Queremos também que a nossa massa adepta fique alegre com aquilo que viu”, disse, na conferência de antevisão ao jogo marcado para as 17:30 horas de domingo, em Chaves.

O «timoneiro» exprimiu ainda o desejo de não sofrer golos, quer para a equipa prolongar o registo «imaculado» dos últimos três jogos oficiais, quer por não querer ver um jogo «partido», semelhante ao que foi disputado em Chaves na época passada - os transmontanos venceram então por 4-3.

Luís Castro avisou, no entanto, que o Chaves é uma equipa com “um ataque muito forte, servido por bons jogadores” e bem orientada por Daniel Ramos, que venceu os últimos dois jogos - Belenenses (1-0), para a Taça da Liga, e Santa Clara (2-1), para a Taça de Portugal - a jogar em 4x4x2, mas, a seu ver, pode optar pelo 4x3x3 para equilibrar o seu meio-campo com o do Vitória.

O treinador admitiu ainda que vai encarar o duelo com os flavienses com “maior conforto a nível de opções”, graças aos regressos de Tyler Boyd e Ola John, extremos que estiveram lesionados por mais de um mês, mas recusou qualquer vantagem prévia, pelo facto de ter trabalhado em Chaves na época passada.

“Há jogadores que estão no Desportivo de Chaves dos quais eu tenho um conhecimento profundo, mas eles também têm um conhecimento profundo daquilo que eu penso que deve ser o jogo. Portanto, não há vantagens nem desvantagens”, salientou.

Confrontado com a importância do Vitória poder atingir o 5º lugar no final da jornada, o técnico realçou que essa subida seria positiva enquanto sinal de um triunfo em Chaves, mas lembrou que essa preocupação não faz para já sentido, visto que a posição atingida no final da época é que conta realmente.

Em Chaves, a equipa vitoriana vai ser acompanhada por mais de 2.000 adeptos, e Luís Castro prometeu que a equipa vai entrar em campo com a «obrigação» de retribuir esse esforço.

O treinador abordou ainda o sorteio da Taça de Portugal, que ditou um confronto com o Boavista. “Temos sempre o objetivo de seguir em frente nas eliminatórias que nos aparecem pela frente. Vamos defrontar uma equipa que nos é rival há muitos anos, que já defrontamos esta época. Esperamos que seja um jogo forte, mas também de festa, e em que possamos sair vitoriosos", disse Luís Castro.