Vaudeville Rendez-Vous regressa em 2019 com nove estreias

  • Publicado em Atualidade
Entre 24 e 27 de julho

O Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous – o mais influente festival de circo contemporâneo do país – regressa em 2019, entre 24 e 27 de julho, com um total de nove estreias – seis estreias nacionais e três estreias absolutas, sendo que todos os espetáculos são de entrada gratuita. Uma das grandes novidades da sexta edição é o facto de o festival se estender, pela primeira vez, ao município de Barcelos – além de Guimarães, Braga e Vila Nova de Famalicão – passando a contemplar as quatro cidades que formam o projeto de cooperação intermunicipal Quadrilátero.

Criado e organizado pelo Teatro da Didascália, o evento afirma, mais uma vez, o seu compromisso de valorização e projeção do circo contemporâneo. É a partir da força regional que o festival pretende dinamizar a internacionalização da cultura e dos artistas portugueses, através das redes europeias que o festival integra – CircusNext e Circostrada.

A celebrar a sua estreia no Festival, Barcelos recebe o primeiro espetáculo desta sexta edição. "A Simple Space", dos Gravity & Other Myths – agendado para o dia 24 de julho, às 22h00 –, é uma das seis estreias nacionais que vão marcar o evento, sendo a primeira vez que o festival conta com a participação de uma companhia australiana. Sete acrobatas executam uma performance "crua, frenética e delicada", apresentada de forma intimista. O espetáculo vai ser, também, apresentado no dia 26 de julho, às 22h00, em Guimarães.

Estreias nacionais invadem Vaudeville
Além da proposta do grupo australiano, o norte do país vai ser palco, ainda, de mais cinco estreias nacionais. Do Reino Unido a proposta é de Gandini Juggling, com a peça "SIGMA", que traz até Braga e Guimarães – no dia 25 de julho, às 22h00; e no dia 27, às 22h00 – a combinação da dança clássica indiana Bharatanatyam com o circo contemporâneo e a narrativa. O espetáculo junta malabaristas indianos e ingleses, uma mistura cultural que "contraria" o Brexit.

Conciliando dança, circo, teatro e performance, Joan Català, de Barcelona, apresenta, pela primeira vez em Portugal, "Pelat", projeto que promove uma interação única com o público. A peça vai estrear-se em Portugal no dia 25 de julho, às 19h00, em Vila Nova de Famalicão, e será ainda apresentada, em Guimarães, no dia 26, e em Barcelos, dia 27, ambos os espetáculos às 19h00.

"Três cabeças quentes celebram a liberdade com um fundo de música rock", num espetáculo que liga a polimórfica e multidisciplinar cultura underground do circo dos anos 60 e 70. É esta a proposta do grupo francês Cirque Exalté. O espetáculo "Furieuse Tendresse" estreia-se no dia 25 de julho, em Vila Nova de Famalicão, às 22h00. No dia 26, pode ser visto em Barcelos, às 22h00; e no dia 27, às 19h00, em, Braga.

Ainda de destacar, no âmbito das estreias nacionais, a dança acrobática "Zoog", de Amir and Hemda, que representa o amor e o ódio numa relação, assim como a rotina e os altos e baixos de uma história íntima. A estreia nacional está agendada para o dia 25 de julho, em Guimarães, às 19h00. O espetáculo vai estar, ainda, nos restantes municípios – Barcelos, dia 26, às 19h00; no dia 27, em Braga, às 11h00, e Vila Nova de Famalicão, às 19h00. Ainda a marcar o fim de semana, o grupo francês La Contrabande traz até Portugal, em estreia, o espetáculo "Bal Trap", onde seis acrobatas "jogam um jogo com regras que nem sempre devem ser seguidas". O grupo vai estar na cidade de Braga, dia 26, às 22h00; e em Famalicão, dia 27, às 22h00.

Três coproduções em destaque
Este ano, o festival conta com três estreias absolutas, que resultam de três coproduções. Elvis Mendes – vencedor da primeira bolsa de criação Vaudeville Rendez-Vous, em parceria com o Instituto Nacional de Artes do Circo (INAC) –, apresenta "A Fábrica da Mentira", no dia 25 de julho, às 22h00, em Barcelos, sendo que a performance pode também ser vista em Famalicão, no dia 26, à mesma hora. Ainda a marcar o seu eixo de Inovação Artística, o Festival Vaudeville coproduz a peça "Angustus", do francês Jonathan Frau e do português Jorge Lix. A estreia está marcada para dia 26 de julho, em Vila Nova de Famalicão, às 19h00, e será apresentada ainda no dia 27, em Guimarães, às 11h00. O festival é ainda palco da apresentação da criação coletiva do Instituto Nacional de Artes do Circo (INAC). Com direção de Roberto Magro, os alunos da primeira instituição de ensino do norte do país apresentam a sua criação "Before The Rain", no dia 25 de julho, às 22h00, em Guimarães. Dia 27 de julho, às 22h00, poderá ser visto em Braga.

"Barriga de Baleia" é palco de acrobacias
Uma plataforma de madeira transforma-se numa catapulta, num berço de balanço suave, num túnel ou num escorrega onde os intérpretes do "Belly of the Whale" "surfam" nessa gangorra gigante semicircular. O espetáculo da companhia inglesa Ockham's Razor traz até à cidade de Braga e de Famalicão – dia 25, às 19h00, e dia 27, às 11h00, respetivamente –, a questão "o que acontece quando nos confrontamos com os nossos medos"?

Propostas nacionais "bebem chá" num "belo dia"
Quatro amigas e mais uma que não chega bebem chá num ambiente pouco pacífico. É assim que o grupo Coração nas Mãos apresenta a sua peça "Chá das Cinco", no dia 25 de julho, às 19h00, no município de Barcelos. O espetáculo pode ser visto, ainda, no dia 26, em Braga, e 27, em Guimarães, à mesma hora. A segunda proposta é da companhia portuguesa Dulce Duca – "Um belo dia" –, um espetáculo sem narrativa, baseado nas memórias do autor, que coloca a artista no centro do palco a representar emoções. A peça vai ser apresentada em Barcelos, no dia 27 de julho, às 11h00.

Atividades paralelas aos espetáculos
Dirigido a estudantes e profissionais de artes performativas, o Laboratório de Criação para Circo Contemporâneo – orientado pelo reputado diretor circense Roberto Magro – ajudará a desmontar alguns conceitos associados à criação circense. O workshop vai decorrer entre os dias 22 e 24 de julho, das 9h00 e as 11h00, no INAC, em Vila Nova de Famalicão. Para toda a família, o Vaudeville propõe nas quatro cidades a participação em três oficinas dedicadas à acrobacia aérea, manipulação de objetos e equilíbrio, onde será possível experimentar alguns dos movimentos associados ao circo contemporâneo.

Debate sobre a cooperação artística e showcase
Pensar a estruturação de uma rede nacional forte que se projete coerentemente e de forma articulada a nível internacional. É este o mote do debate "Redes de cooperação artística, do micro ao macro", promovido pelo Vaudeville Rendez-Vous, no dia 27 de julho, às 16h00, em Vila Nova de Famalicão. Tal como nas edições anteriores, o festival volta ainda a apostar num "Showcase" – no dia 26 de julho, às 11h00, no Theatro Gil Vicente, em Barcelos – que permite aos criadores emergentes apresentarem os seus projetos aos programadores que marcam presença no Vaudeville Rendez-Vous.

O Vaudeville Rendez-Vous – reconhecido pelo júri internacional do Europe For Festivals/Festivals For Europe, com o selo EFFE Label 2019-2020 – tem como missão a sensibilização da comunidade para as artes circenses e a formação de novos públicos. A última edição daquele que é considerado o mais influente festival de circo contemporâneo do país reuniu mais de 15 mil pessoas em Braga, Guimarães e Vila Nova de Famalicão e contou com mais de 60 artistas portugueses e internacionais.