Estamos a ingerir até 50 mil partículas de plástico por ano, revela estudo

  • Publicado em Atualidade

Estudo liderado por investigadores canadianos concluiu que podemos estar a ingerir 50 mil micropartículas de plástico, e a consumir outras tantas através da respiração. O número aumenta se formos consumidores exclusivos de água engarrafada e diminui se dermos primazia à água da torneira.

Peixe, marisco, açúcar, sal, cerveja e até água. Não estamos perante uma lista de supermercado, mas sim de um índice de alimentos que a maior parte de nós consume de forma regular e onde foram agora encontrados vestígios de plástico. Uma pessoa comum está a ingerir pelo menos 50 mil partículas de microplástico por ano e a respirar uma quantidade muito semelhante. Esta é uma das conclusões de um estudo que analisou a ingestão de plástico pelo ser humano, publicado esta quarta-feira, 6 de junho, na revista científica Environmental Science and Technology.

No entanto, este número pode muito bem vir a subir, uma vez que para a investigação foram apenas considerados alguns alimentos e bebidas que fazem parte da dieta do ser humano. Ou seja, quanto maior for a amostra de alimentos analisados, maior será a quantidade de microplásticos que os investigadores encontrarão.

Os impactos da ingestão deste tipo de substâncias na saúde ainda não foram estudados a fundo e são, em grande parte, desconhecidos. O que se sabe é que o plástico pode libertar substâncias tóxicas quando ingerido e, caso as partículas sejam microscópicas, podem penetrar os tecidos do corpo humano como o tecido epitelial, conjuntivo, muscular ou nervoso, onde poderiam desencadear reações imunológicas.