Palácio Vila Flor acolhe performance no encerramento da exposição de objetos sonantes

  • Publicado em Atualidade
Até 13 de julho

O Palácio Vila Flor acolhe até este sábado a exposição «Disposofónicos: Acumuladores de Objetos Sonantes». A mostra da Sonoscopia irá encerrar com a apresentação da performance «Tars», a partir das 18:30 horas.

O som e a música podem provir de qualquer lugar, desde objetos inusitados ou partes em construção de instrumentos até às instalações sonoras construídas pelos membros deste coletivo a partir de coisas tão díspares como computadores ou gavetas de madeira.

Para o encerramento da exposição, a Sonoscopia propõe a a apresentação da performance «Tars», palavra persa para corda e que pode ser encontrada na denominação de vários cordofones. Esta obra, apresentada originalmente como Srosh Ensemble, prossegue a  investigação e a exploração sonora em materiais e meios específicos como o ar, o metal, o vidro e, neste caso concreto, as cordas. Revisitando e expandindo as possibilidades sonoras de vários instrumentos convencionais e não convencionais, esta peça é suportada por diversos estudos sobre o comportamento acústico e mecânico das cordas e na instrumentação que podemos encontrar, desde sistemas simples como monocórdios e berimbaus (que remetem para as origens dos instrumentos de corda no arco de caça) até sistemas mais complexos como a guitarra, diversos tipos de cítaras e harpas. Alguns, como a TwinTar (instrumento desenvolvido por Alberto Lopes, em 2002), são já a sublimação de vários cordofones. Nesta visão de adaptação e transformação do espetáculo ao local de apresentação, serão utilizados instrumentos presentes na exposição. O próprio espaço de atuação será intervencionado com a instalação de várias cordas que serão excitadas através do recurso a automatismos eletromecânicos.