Dança. CCVF recebe apresentação da peça «Terça-Feira: Tudo o que é sólido dissolve-se no ar»

  • Publicado em Atualidade
No Pequeno Auditório, às 21:30 horas

O Pequeno Auditório do Centro Cultural Vila Flor recebe este sábado, às 21:30 horas, a apresentação do segundo espetáculo do projeto «Sete Anos Sete Peças». Cláudia Dias inspira-se no universo dos desenhos animados de Osvaldo Cavandoli para criar «Terça-Feira: Tudo o que é sólido dissolve-se no ar».

“Quando era criança assistia fascinada, como muitas pessoas da minha geração, aos programas televisivos do Vasco Granja e ficava deliciada com aqueles desenhos animados que criavam mundos a partir de plasticina, cartolina ou de uma só linha. Cerca de trinta e tal anos depois convoco esse universo, nomeadamente o trabalho de Osvaldo Cavandoli, para esta segunda criação do projeto Sete Anos Sete Peças”, partilha a criadora.

Em palco, Cláudia Dias e Luca Bellezze constroem uma narrativa visual, usando uma linha para contar a história de um menino de dez anos, cujos avôs foram expulsos primeiro da Palestina e depois do Líbano, que viaja desde a Síria até Itália. Em paralelo, criaram também uma narrativa sonora, com ruídos e barulhos deste caminho de fuga. A tudo isto se acrescentam os corpos de ambos, de forma não-verbal, precisamente para escapar às ideias feitas. E o texto, em vez de ser posto na boca dos atores, para que se identifiquem falsamente com os refugiados, é projetado no cenário, para sublinhar a distância que separa uns dos outros. As palavras contam, embora nem sempre como contamos.

Num tempo em que as linhas divisórias, as fronteiras, as barreiras, as linhas da frente e de mira dos conflitos bélicos, as fileiras e as linhas de identificação do drama dos refugiados, as linhas de respeito dos limites marítimos das nações, as linhas duras das fações radicais de organizações políticas e religiosas estão na ordem do dia, Cláudia Dias e Luca Bellezze trabalham (n)uma linha unificadora, capaz de juntar o que se encontra separado.