Vendas de azeite para fora do país atingiram 382,3 milhões de euros este ano

  • Publicado em Atualidade

Entre Outubro de 2017 e Abril deste ano, os primeiros sete meses da campanha oleícola, Portugal exportou 382,27 milhões de euros de azeite (dos quais 306 milhões de euros de azeite virgem e virgem extra) e importou 261,78 milhões de euros. Face a igual período do “exercício” oleícola de 2016/2017, que arranca em Outubro e termina em Setembro do ano seguinte, registou-se assim um crescimento de 46% das exportações e de 20% das importações, em valor.

Em volume, as 95,35 mil toneladas vendidas de azeite ao exterior, entre Outubro de 2017 e Abril de 2018, representaram um crescimento de 32% face às 72,28 mil toneladas de azeite exportadas em igual período da campanha de 2016/17. E, numa conta simples, quer dizer que Portugal conseguiu vender o azeite mais caro na última campanha: quatro euros por quilo de azeite exportado até Abril de 2018, face aos 3,62 euros por quilo obtidos nos sete meses até Abril de 2017.

A análise dos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) é da responsabilidade do SIMA – Sistema de Informação de Mercados Agrícolas (do GPP – Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral). E, salienta ainda outro ponto: é que ao conseguir vender mais e mais caro ao exterior, Portugal obteve nos sete meses em análise um saldo comercial em azeite, positivo, de 171,4 milhões de euros – quase o dobro do saldo homólogo, que estava em 86,08 milhões.

O INE estima que, na totalidade de 2017, Portugal tenha exportado 495,46 milhões de euros em azeite (dos quais 430,82 milhões de euros de azeite virgem) e importado outros 351,06 milhões, o que resulta num saldo positivo de 144,4 milhões de euros.