Hospital de Guimarães reconhecido pelo seu empenho na redução de infeções hospitalares

  • Publicado em Atualidade
Na terça-feira

O Hospital da Senhora da Oliveira Guimarães recebeu, do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e do Ministro da Saúde, Alberto Campos Fernandes, uma placa alusiva ao reconhecimento do seu empenho e mérito no «Desafio Gulbenkian – Stop Infeção Hospitalar».

O Hospital atingiu os objetivos de redução das taxas de infeção hospitalar preconizadas por este Programa. O empenho dos colaboradores do Hospital permitiu alcançar, em vários casos mesmo ultrapassar largamente, as metas preconizadas pelo programa. O objetivo inicial era reduzir em 50% vários tipos de infeções hospitalares.

Em Guimarães constatou-se uma redução superior a 50% das taxas de infeção da corrente sanguínea, relacionada com cateter vascular central, de pneumonia associada a intubação, de infeção do local cirúrgico no doente submetido a cirurgia do cólon e reto, a cirurgia com implante de prótese da anca e joelho e de infeção do trato urinário associada a cateter vesical. Foi ainda conseguida uma redução do índice de exposição aos dispositivos invasivos.

Os resultados da iniciativa nos hospitais envolvidos foram um sucesso, tendo sido apresentados ontem na Fundação Calouste Gulbenkian, instituição responsável pelo desafio «STOP Infeção Hospitalar». No final da cerimónia foi assinado um protocolo com o Governo, no sentido de transferir para a Direção-Geral da Saúde as práticas do trabalho, desenvolvido nos últimos três anos pela mão da Fundação. Os objetivos do Programa serão assim assumidos pelo Ministério da Saúde que fará incorporar toda a metodologia e o funcionamento no Programa Nacional de Prevenção e Controlo de Infeções e das Resistências aos Antimicrobianos.

Em 2015 a Fundação Calouste Gulbenkian selecionou o Hospital de Guimarães como um dos 12 hospitais públicos do país para participar no programa «STOP Infeção Hospitalar». A participação neste programa de combate às infeções hospitalares implica um compromisso de adotar uma metodologia coordenada pelo Institute for Healthcare Improvement, assim como qualificar continuadamente os seus recursos humanos, com nomeação de responsáveis diretos, registar, enviar e partilhar dados de monitorização e ainda colaborar nos procedimentos periódicos de avaliação.