Urgências descem em 2017, mas aquém das metas do Governo

  • Publicado em Atualidade

Os hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) fizeram no ano passado mais de 6 milhões e 300 mil urgências (6.318.257), menos 87 mil episódios do que em 2016 (-1,4%), de acordo com os dados disponíveis no Portal do SNS. E embora este decréscimo tenha sido o maior conseguido nos últimos cinco anos, o resultado ficou, ainda assim, aquém das metas do Governo que projectava para 2017 a realização de 6.253.000 urgências. Fizeram-se 65.257 a mais do que o previsto.

Desde que entrou em funções, o Governo assumiu como meta a redução das urgências. Na sua primeira audição no Parlamento em 2016, enquanto ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes disse querer reduzi-las em 10%, o que permitiria uma poupança anual de 48 milhões de euros. A nota explicativa do orçamento da Saúde para esse ano foi menos ambiciosa: estimava um decréscimo de 225 mil episódios (-3,7% face ao ano anterior). Mas ao contrário, a procura cresceu e realizaram-se nesse ano 6,4 milhões de urgências. Um aumento coincidente com a recuperação de algumas isenções de taxas moderadoras que tinham sido retiradas pelo Governo anterior.