Ursos polares estão a ficar sem comida e podem desaparecer mais depressa do que se pensava

  • Publicado em Atualidade

Afinal, os ursos polares precisam de mais alimento do que era anteriormente pensado para sobreviverem. Ora, perante a cada vez mais árdua tarefa de encontrarem comida, os ursos polares podem enfrentar a extinção mais cedo do que se receava.

Estas são as principais conclusões de um estudo publicado na revista Science realizado pelo Serviço Geológico dos EUA e a Universidade de Santa Cruz na Califórnia. Os investigadores estudaram nove ursos polares ao longo de dois anos (entre 2014 e 2016), colocando colares com GPS nos animais e câmaras de vídeo para medir os níveis de atividade.

Os autores concluíram que estes animais possuem um metabolismo maior do que o pensado. Isto significa que os ursos polares necessitam de grandes quantidades de alimentos – preferencialmente focas – para recarregar energias. O problema é que a busca por comida tem sido cada vez mais dificultada nos últimos anos, principalmente devido às alterações climáticas.