Portugueses sentem-se mais seguros, diz barómetro da APAV

  • Publicado em Atualidade

O sentimento de insegurança em Portugal diminuiu nos últimos cinco anos, revela o Barómetro da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) e Intercampus, sob o tema Criminalidade e Insegurança. Só 10% dos inquiridos considera a zona onde reside como perigosa ou insegura, quando em 2012 essa percentagem era de 19%, mostra o resultado de um questionário com 600 entrevistas telefónicas distribuídas por Portugal continental à população com 15 e mais anos. Dessa amostra, 53% é do sexo feminino e 47% do sexo masculino.   

Segundo o documento, que irá ser apresentado esta quarta-feira, comparativamente ao questionário aplicado em 2012 há uma descida do sentimento de insegurança em vários aspetos: face à zona residencial, à segurança em termos pessoais, aos bens pessoais e à experiência pessoal nos últimos 12 meses.

No item assaltos e agressões, mais de 75% dos inquiridos declara não ter medo, um sentimento que era mais baixo em 2012 com apenas 58% a afirmá-lo. No entanto, o medo aumenta quando se analisa a opção “outras zonas” além daquela onde o inquirido reside e trabalha: aí 52% dos que declararam ter medo escolheram essa opção. E é mais alto para quem tem mais de 65 anos e vive nas zonas do Alentejo e Algarve.