Guimarães. Administrador de insolvência acusado de «desfalque» na massa falida

  • Publicado em Atualidade
Ministério Púbhlico imputa ao arguido três crimes de peculato

O Ministério Público acusou um administrador de insolvência de três crimes de peculato, por alegadamente se ter apropriado de mais de 12 mil euros da massa falida num processo de falência que corria no Tribunal de Guimarães.

Em nota publicada na sua página na internet, a Procuradoria-Geral Distrital do Porto refere que o arguido foi nomeado liquidatário judicial de um processo de falência que corria na secção cível do Tribunal Judicial de Guimarães.

Acrescenta que, no exercício dessas funções, “apropriou-se por três vezes de quantias depositadas na conta da massa falida e destinadas ao pagamento dos credores e demais despesas da falência”.

As alegadas apropriações terão sido de 4.963 euros, 4.135 euros e 3.178 euros.

“Do montante total apropriado, o arguido já procedeu à restituição de 7.357 euros”, lê-se ainda na mesma nota.