PJ e PSP fazem 34 buscas em operação contra fabrico e venda ilegais de explosivos

  • Publicado em Atualidade
Detidos presentes no Tribunal Judicial de Guimarães

Uma operação desenvolvida esta quinta-feira no Norte e Centro do país pela Polícia Judiciária e pela PSP para combate ao fabrico e venda ilícitos de material pirotécnico incluiu a realização de 34 buscas a residências e oficinas de pirotecnia.

Em comunicado, após a denominada "Operação Petardo", a PJ refere que no decurso da investigação "foram identificadas atividades ilícitas relativas ao fabrico e venda de artigos pirotécnicos, ao tráfico de armas e a comercialização e utilização de petardos e tochas de fumo em recintos desportivos".

Aquela força policial adiantou que "estão ainda em investigação os incidentes ocorridos em janeiro passado, em Braga, após o jogo de futebol entre o Sporting Clube de Braga (SCB) e o Vitória (VSC), em que foi atingido, com disparo de arma de fogo, o autocarro que transportava funcionários da empresa de segurança que presta serviço no estádio do SCB".

Segundo a PJ, foram detidas seis pessoas em cumprimento de mandado emitido pelo Ministério Público e ainda "mais dois suspeitos, em flagrante delito".

Anteriormente, fonte da PJ tinha referido um total de nove detenções, seis em cumprimento de mandado e três em flagrante delito. Em causa está o crime de "detenção de armas proibidas, nomeadamente, rastilho e engenho para lançamento de artigos pirotécnicos".

Os detidos, com idades entre os 27 e os 53 anos, vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação de medidas de coação, no Tribunal de Guimarães.