Exposição «Libertas» patente até este sábado no Museu Alberto Sampaio

  • Publicado em Atualidade
Mostra promovida pela Direção Regional de Cultura do Norte e a Junta da Galiza

O Museu Alberto Sampaio tem patente até este sábado, 10 de junho, a exposição «Libertas», promovida pela Direção Regional de Cultura do Norte e a Junta da Galiza.

Dois ingredientes, arte e literatura, bastaram a um grupo de professores, coordenados por Olegario Sampedro, para realizar este trabalho com o intuito de agitar consciências em 75 países. 

Escritores como Lorca, Ángel Cuadra, Liu Xiaobo, Méndez Ferrín, Jude Dibia, Susana Chávez e Orhan Pamuk serviram de inspiração para fazer um trabalho "que não deixasse ninguém indiferente” e que reivindicasse a liberdade da palavra. Para isso empregaram formatos incomuns: o grande formato (algumas montagens chegam aos três metros de altura), garrafas, madeiras, uma caixa que tem que se abrir...

Assim, «Libertas» constitui-se como uma exposição coletiva, que integra também um dos vultos maiores da Literatura Portuguesa, Miguel Torga, um acérrimo defensor da Liberdade: “ (…) Livre não sou, mas quero a liberdade. / Trago-a dentro de mim como um destino.(…)” (Cântico do Homem, 1950).

A presença desta exposição no Museu de Alberto Sampaio resulta de uma iniciativa conjunta da Direção Regional de Cultura do Norte e da Junta da Galiza, no âmbito do projeto Nortear, que decorre da assinatura de um memorando de entendimento celebrado entre a Consellería de Cultura, Educación Y Ordenación Universitaria (Espanha), a Direção Regional de Cultura do Norte e o Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galiza-Norte de Portugal, e que visa, entre outros objetivos, fomentar ações conjuntas de colaboração que estimulem o conhecimento mútuo entre as respetivas cidadanias.

[ Artigo originalmente publicado no dia 03.05.2017 e atualizado este sábado 10.06.2017 ]