Pedro Martins. «Ficou por assinalar um penalty sobre o Hernâni»

  • Publicado em Atualidade
Técnico analisou o empate com o Marítimo

O treinador do Vitória atribuiu à ineficácia do Vitória na finalização o empate com o Marítimo, no Estádio D. Afonso Henriques.

"Foi um grande jogo de futebol. Hoje, poderíamos ter estado o dia todo e não teríamos feito golo. O grupo de trabalho fez tudo e mais alguma coisa para sair daqui com outro resultado.

Faltou a finalização. A primeira parte foi muito bem jogada, com grande qualidade e critério. Chegámos às zonas de finalização com extrema facilidade, porque criámos uma dinâmica ofensiva muito grande. Poderíamos ter chegado ao intervalo com um ou dois golos.

Na segunda parte, houve períodos onde houve um equilíbrio, porque o Marítimo defendeu-se bem, com um bloco baixo, e criou-nos dificuldades. Poderíamos ter feito aí o golo através do Bernard, pelo Alex, pelo Raphinha e até pelo Rafael Martins. Não o conseguimos fazer e acabámos por sofrer nos 10 minutos finais a reação de uma equipa que explorou constantemente o erro e nos criou duas situações de grande perigo.

Há, de facto, um penálti claro. Não é fácil de ajuizar para o árbitro assistente e para o árbitro, porque estão dois elementos à frente dele.

Nós começámos com zero pontos. É um campeonato complicado, em que vai ser luta até ao final. Perante o que hoje fizemos, não ficámos satisfeitos com um ponto. O nível de eficácia tem de ser maior, porque, em termos de qualidade de jogo ofensivo, foi, provavelmente, a melhor primeira parte que fizemos esta época."