Sinal de TDT com disponibilidade próxima de 100%, segundo a ANACOM

  • Publicado em Atualidade

O sinal de televisão digital terrestre (TDT) apresentou valores de disponibilidade de serviço próximos dos 100% e um nível de estabilidade de serviço elevado no quarto trimestre de 2015, segundo um estudo da ANACOM.

"Globalmente, é possível afirmar que nas zonas do país onde o sinal digital de televisão chega por via terrestre, através do canal 56, a receção de televisão fez-se de forma quase permanente e sem interrupções", lê-se no comunicado da Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM), com base no estudo realizado na informação da rede de sondas que estão espalhadas pelo país.

O maior destaque recai sobre Viana do Castelo, o distrito com maior tempo de receção de serviço, com 99,98%, seguindo-se Portalegre, com 99,96%, e logo Guarda com 99,95%. Já Aveiro e Setúbal são os distritos com resultados mais baixos, ainda assim com 97,8% e 99,5% de disponibilidade, respetivamente. Todos os outros distritos tiveram um desempenho acima da média nacional (99,66%).

O regulador diz ainda que "o melhor e o pior dia" ocorreram a 07 de dezembro e 02 de outubro, com os níveis de disponibilidade de serviço diária nos 99,96% e 98,24%, respetivamente.

Dezembro foi o melhor mês do trimestre em termos de desempenho da TDT, com disponibilidade de serviço de 99,7%, enquanto outubro registou a mais baixa disponibilidade de serviço, com 99,62%.

"Importa realçar que as interrupções no acesso ao serviço podem dever-se a falhas de energia, intempéries, auto-interferências e atos de vandalismo sobre a infraestrutura", revela a ANACOM.

O regulador divulga também informação sobre a estabilidade de serviço, caraterizando o quarto trimestre como "um período em que a estabilidade de serviço foi elevada", face à qualidade média do sinal.

Os meses com maior e menor estabilidade de serviço foram, respetivamente, dezembro e novembro, mas os dias com maior e menor estabilidade de serviço foram, respetivamente, 20 de dezembro e 02 de outubro.

"Há que ter em conta que mesmo quando a estabilidade do sinal é menor podem não existir alterações que sejam percetíveis para a generalidade dos utilizadores. Apenas aqueles que dispõem de instalações em mau estado e de equipamentos de pior qualidade é que sentem a degradação", diz a ANACOM.

O estudo está disponível em http://www.mce-anacom.pt/tdt/sondas_view.php e foi feito a partir de mais de 15 mil milhões de registos obtidos pela rede de sondas, incidindo apenas sobre o sinal de televisão emitido no canal 56. Todavia, atualmente o sinal já é difundido também através dos canais 40, 42, 45, 46, 47, 48 e 49, lembra o regulador.