Consumo de leite continua a descer, leguminosas seguem em níveis baixos

  • Publicado em Atualidade

O consumo de leite em Portugal voltou a sofrer uma redução em 2014, uma tendência que se mantém desde 2009, segundo um relatório da Direção-geral da Saúde (DGS).

Considerado pela própria DGS como um «super alimento de baixo custo», o grupo do leite e derivados sofreu de 2013 para 2014 uma diminuição de 2,6%.

«De registar a redução consecutiva da disponibilidade do leite e seus derivados desde 2009 e a baixa e estável disponibilidade de leguminosas ao longo dos últimos cinco anos, apesar da divulgação regular das suas vantagens nutricionais e fornecimento de proteína a baixo custo», refere o relatório «Portugal - Alimentação Saudável em Números 2015».

Durante a apresentação do documento, o coordenador do Programa Nacional de Promoção da Alimentação Saudável, Pedro Graça, sublinhou o "consumo baixíssimo" de grão e feijão - alimentos considerados saudáveis e completos -, lembrando que são produtos "sem marcas" e, por isso, "sem padrinhos" que os promovam ou lhes façam publicidade.

Preocupante, segundo o responsável, é ainda o indicador que mostra que aumentou, entre 2002 e 2014, o número de adolescentes que raramente ou nunca comem hortícolas e fruta.

Em 2002, 5,7 por cento dos adolescentes raramente ou nunca consumiam fruta e 11,7% não comiam fruta, enquanto em 2014 esses valores passaram, respetivamente, para 9% e 14,6%.