Equipa da Escola de Engenharia da UMinho vence concurso EDP

  • Publicado em Atualidade
Participaram 11 universidades portuguesas

Uma equipa da Universidade do Minho foi selecionada para aperfeiçoar uma tecnologia da EDP que permite aos clientes gerir o consumo da energia de casa onde quer que estejam a partir de um computador, tablet ou smartphone. Esta gestão dos aparelhos elétricos poderá ajudar as famílias a poupar dezenas de euros no final do ano, além de promover um consumo sustentável na sociedade. As soluções de melhoramento apresentadas pela UMinho foram destacadas na EDP - Re:dy Challenge, um concurso que envolveu participantes de 11 universidades portuguesas.

“Este tipo de reconhecimento enriquece o nosso percurso pessoal e académico e aumenta as oportunidades de recrutamento, além de proporcionar maior visibilidade à UMinho, aproximando-a do tecido empresarial e abrindo portas para futuros projetos e parcerias. A equipa da UMinho destacou-se por apresentar protótipos funcionais com componentes desenvolvidas em hardware e software, numa fase avançada de desenvolvimento. A equipa foi constituída por pessoas de diferentes áreas científicas, o que facilitou o processo de ideação”, afirma Tiago Gomes (Engenharia Eletrotécnica e de Computadores), um dos cinco elementos do grupo.

A equipa da Escola de Engenharia propôs um conjunto de alterações aos módulos já existentes e novas funcionalidades capazes de proporcionar experiências interessantes aos utilizadores. As principais ideias propostas focam a segurança e o conforto dos clientes, propondo-se a inclusão de mecanismos que detetem situações de risco, como fugas de gás e alterações da atmosfera no interior da habitação ou do escritório. “Pretende-se que o sistema atue de forma segura, com minimização de danos, e notifique automaticamente o cliente ou a empresa perante a deteção de tais ameaças. Os mesmos mecanismos permitem também minimizar as perdas de energia da habitação ou do escritório, garantindo o conforto atmosférico desejado. Estas poupanças superam os custos de aquisição e utilização do equipamento”, explicam os professores Anabela Tereso e Luís Silva Dias, do Departamento de Produção e Sistemas da UMinho.

Ativar sistema de ventilação à distância em caso de fuga de gás

A monitorização em tempo real do ambiente e a deteção precoce de situações de risco podem ser feitas através da web ou de uma aplicação para smarthphones. Em caso de fuga de gás, “o utilizador consegue ativar, por exemplo, um sistema de ventilação com notificação automática para o seu telemóvel (SMS e chamada telefónica), podendo evitar uma situação de perigo”, exemplifica José Ricardo Ribeiro (Engenharia Informática). A equipa premiada propôs ainda a utilização de lâmpadas inteligentes capazes de ajustar automaticamente a sua intensidade dentro do espaço habitacional, tendo em conta a luz natural disponível. “Este melhoramento permite contribuir para uma maior eficiência energética, levando os consumidores a pouparem na fatura mensal”, acrescenta o colega Sandro Pinto (Engenharia Eletrotécnica e de Computadores).

Na competição participaram alunos e professores das universidades do Minho, Aveiro, Coimbra, Nova de Lisboa, Évora, Algarve e dos institutos Politécnico de Bragança, Superior Técnico e Superior de Engenharia de Lisboa.