Mais de mil queixas atestam falhanço de três anos da TDT

  • Publicado em Atualidade

A televisão digital terrestre deveria estar a funcionar em pleno desde 26 de abril 2012, data do apagão do sistema analógico, mas as queixas dos cidadãos não pararam.

Ainda há quem tenha problemas de receção do sinal, bastam umas horas de vento e chuva intensa para a imagem estagnar no ecrã e a emissão ficar interrompida em algumas zonas do país. Quanto à promessa de aumentar a oferta de canais, limitou-se ao acrescento do ARTV, o Canal Parlamento.

Quem tem observado a introdução da TDT em Portugal aponta uma sucessão de falhas, como é o caso do professor da Universidade do Minho Sérgio Denicoli, e da jurista da Associação Portuguesa do Consumidor (Deco) Ana Tapadinhas. O ministro adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, mostrou vontade em resolver os problemas e prometeu, em fevereiro, ter uma solução até ao final da legislatura, admitindo que a TDT era uma das questões que mais “frustração” lhe tinha causado. Assume entretanto a dificuldade e o sentimento de derrota.