Norte, Lisboa e Centro foram regiões que mais contribuíram para exportações

  • Publicado em Atualidade

Os operadores económicos localizados no Norte, na Área Metropolitana de Lisboa e no Centro foram os que mais contribuíram, entre 2012 e 2014, para o valor global das exportações, revelou o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo o INE, naquele período, o Norte foi a região que mais contribuiu (38,6%) para o valor nacional de exportações, seguido da Área Metropolitana de Lisboa (34,5%) e da região Centro (19,8%).

A Área Metropolitana de Lisboa e os territórios contíguos do Ave, a Área Metropolitana do Porto e a região de Aveiro representaram, em conjunto, “cerca de dois terços do valor nacional” naquele período, adianta o INE no «Retrato Territorial de Portugal».

O INE assinala ainda que, no mesmo período, face ao triénio de 2005 a 2007, a diminuição da proporção de exportações para os 28 países da União Europeia (UE) “foi comum aos operadores sedeados em todas as regiões, com exceção do Norte”, em que se verificou um aumento de 76% para 78%.

“A proporção de exportações portuguesas para os países da UE a 28 diminuiu, passando de 77% para 70% do total de produtos exportados”, afirma ainda o INE.
Ainda de acordo com o INE, também diminuiu a “intensidade tecnológica” das exportações em todas as regiões portuguesas, com exceção da Região Autónoma dos Açores e do Algarve.

O INE sustenta que o nível de incorporação tecnológica nos produtos finais e, nomeadamente, nos produtos exportados “constitui um elemento de análise relevante no âmbito da competitividade internacional”, tendo o estudo recorrido à classificação por bens de alta tecnologia para aferir o conteúdo tecnológico das exportações das regiões portuguesas.

Entre os períodos 2005-2007 e 2012-2014 “verificou-se uma diminuição da intensidade tecnológica das exportações nacionais, tendo este indicador passado de um valor médio de 7,1%, para 3,4%”, longe do valor médio dos 28 países da UE (15,5%), refere.

“A diminuição da proporção de exportações de produtos de alta tecnologia no período considerado verificou-se em todas as regiões portuguesas com exceção da Região Autónoma dos Açores e do Algarve. No período em análise, o Norte foi a região onde se verificou a diminuição mais expressiva neste indicador, condicionando fortemente a evolução nacional”, acrescenta o INE.

O Instituto frisa ainda que, entre 2012 e 2014, o Centro e o Alentejo foram as únicas regiões a apresentar uma proporção de exportações de bens de alta tecnologia abaixo do valor médio nacional.