Licenças para construção de casas abaixo do nível

  • Publicado em Atualidade

altNos primeiros cinco meses deste ano foram autorizados para construção menos 1627 fogos do que no período homólogo de 2009, o que representa uma quebra de 13%  quando se contaram 12.238 fogos autorizados para construção.

A manter-se a tendência, diz a Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços (AECOPS), no final do ano, o número de fogos novos licenciados não deverá ultrapassar os 23.500.

Tal fasquia representa, «de longe, o mínimo desta série anual iniciada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) em 1994 e mesmo o valor mais baixo de que a AECOPS tem registo desde 1970».

O INE já havia revelado, nas suas «Estatísticas da Construção e da Habitação» referentes a 2009, uma quebra de 40,9 por cento de novos fogos licenciados face a 2008 (27.012 no total). Com o ritmo que se está a verificar este ano, o sector da construção antecipa ainda piores notícias.
 
O segmento residencial foi o mercado de aposta de um vasto número de empresas de construção que têm vindo, nos últimos anos, a confrontar-se com o emagrecimento do sector.