Dentistas recusam clientes que usam cheques do Estado

  • Publicado em Atualidade

altO atraso no pagamento dos cheques-dentista às clínicas da região Norte que aderiram ao programa de saúde oral já levou algumas a recusar pacientes. Estão em dívida 2,38 milhões de euros, parte há vários meses. A promessa oficial é resolver a situação ainda em Julho.

Marisa Pinto assume claramente que, enquanto não receber os quatro mil euros que tem a haver – parte ainda respeitantes a Julho do ano passado – pelos tratamentos a idosos, grávidas e crianças, a Cliforno não aceitará doentes novos. “Tratamos os que são nossos doentes, para não os perder, mas recusamos doentes novos”.

Os cheques-dentista foram criados no âmbito do Programa Nacional de Saúde Oral e visam dar tratamentos dentários a grávidas acompanhadas nos centros de saúde, idosos beneficiários do complemento solidário e crianças. O Ministério da Saúde paga 40 euros por consulta aos privados que adiram ao plano.

Do lado da Ordem dos Médicos Dentistas, o secretário-geral Paulo Melo arrisca o montante em dívida: “quatro milhões de euros”, só no Norte. É a única região que ainda não resolveu os problemas, com o argumento da ligação entre os sistemas informáticos que fazem a conferência dos cheques e processam o pagamento após emitido o recibo.