Instituições vimaranenses acolhem 24 cidadãos da comunidade yazidi (vídeo)

  • Publicado em Sociedade
No âmbito do Plano de Ação denominado “Guimarães Acolhe”

O Lar de Santa Estefânia, a Santa Casa da Misericórdia de Guimarães, a ADCL-Associação para o Desenvolvimento das Comunidades Locais, o Centro Social de Brito, o Arciprestado de Guimarães-Vizela, a Paróquia de Nossa Senhora da Oliveira e o Centro Social e Comunitário de Tabuadelo, são as sete instituições que receberam sete famílias yazidi, num total de 24 pessoas com necessidade de proteção internacional.

A comunidade yazidi é uma minoria religiosa que tem sido alvo de perseguição e massacres na Síria e no Iraque por parte dos apoiantes do Estado Islâmico. Inicialmente, estava prevista a chegada de mais uma família de seis pessoas, mas a sua viagem foi adiada por motivos de saúde. As famílias ficaram instaladas em alojamentos cedidos por instituições da rede social do concelho, no âmbito do Plano de Ação denominado “Guimarães Acolhe”.

O “Guimarães Acolhe” tem recebido maioritariamente cidadãos jovens isolados do género masculino, com escolaridade básica e média. Até ao momento, e no âmbito deste Plano, acolheu 43 pessoas com necessidade de proteção internacional, oriundas do Estado da Eritreia, Etiópia, Síria e República Centro Africana, através de alojamentos cedidos pelo Centro Juvenil de S. José, Santa Casa da Misericórdia de Guimarães e Venerável Ordem Terceira de S. Francisco.

[ Formato Sapo.pt ]

 

[ Formato YouTube.com ]