Câmara de Guimarães assina plano estratégico para o desenvolvimento do concelho

  • Publicado em Sociedade
Fundos da união europeia

O Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, e o Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, Emídio Gomes, procederam à assinatura do contrato do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) para o concelho de Guimarães, no valor de 18,5 milhões de euros de Fundos da União Europeia, numa cerimónia que decorreu esta terça-feira, 31 de maio, em Santa Maria da Feira, no Europarque.

O montante contratualizado destina-se a apoiar a realização de obras em Guimarães no âmbito da mobilidade sustentável, reabilitação urbana e habitação social. «Os fundos comunitários são fundamentais para o conjunto dos nossos investimentos estratégicos e para a sustentabilidade financeira do Município», disse Domingos Bragança, após ter assinado o protocolo, numa sessão presidida pelo Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, e pelo Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes.

Nos projetos vimaranenses, constam a criação de uma rede urbana de percursos cicláveis e de ligação às vilas, a reabilitação e refuncionalização do edifício Jordão e Garagem Avenida, a conclusão da reabilitação da antiga fábrica Freitas & Fernandes para a instalação da unidade das Nações Unidas, a reabilitação da área central das Taipas e a recuperação de habitações sociais da Nossa Senhora da Conceição, São Gonçalo, Atouguia e Emboladoura (Gondar), requalificação do Parque das Hortas, entre outras obras.

O PEDU é um plano estratégico de desenvolvimento urbano estruturado em três temas: mobilidade, reabilitação urbana e promoção da inclusão social. No caso de Guimarães, o plano centra-se na criação de um espaço público de excelência, com a mobilidade centrada no peão e bicicleta (com apoio ao transporte coletivo), reabilitação do edifício patrimonial existente, regeneração do espaço comunitário favorecido com a criação das Áreas de Reabilitação Urbana (ARU) e prevalência da eficiência energética em habitações sociais.