Câmara de Guimarães instala energia renovável na reabilitação de prédio social de Urgezes

  • Publicado em Sociedade
Município recupera prédio construído há quatro décadas

A aposta em fontes de energia renováveis, com a instalação de coletores solares térmicos e de painéis fotovoltaicos, é uma das medidas estabelecidas pelo Presidente da Câmara Municipal de Guimarães para a reabilitação estrutural, arquitetónica e energética do Bloco Habitacional de Urgezes.

De acordo com um despacho emitido por Domingos Bragança, está em fase de abertura de procedimento um concurso para a elaboração do projeto relativo à reabilitação do edifício de habitação social. O objetivo é definir uma solução conceptual que permita lançar a concurso uma obra que resolverá um conjunto de situações a necessitar de uma beneficiação e reabilitação urgentes e outras que visam potenciar a eficiência energética do edifício.

O objeto do procedimento determina a necessidade da reabilitação estrutural do prédio, a recuperação de todas as suas fachadas e caixilharias, conferindo-lhe um superior desempenho energético e simultaneamente arquitetónico. Serão ainda adotados sistemas de produção de águas quentes sanitárias e energia elétrica para as zonas comuns, através de fontes de energia renováveis.

O autarca pretende que a realização da obra resulte num edifício «estruturalmente estável, visualmente reabilitado e energeticamente eficiente, com evidentes benefícios para os seus condóminos, designadamente através das poupanças nas faturas de energia que esta intervenção irá proporcionar».

De acordo com o calendário estipulado para a realização desta intervenção, o concurso para a aquisição do projeto fica concluído até ao início de setembro, prevendo-se a entrega do projeto até meados do mês de outubro. O Bloco Habitacional de Urgezes, localizado junto ao Bairro Municipal de Urgezes, é um prédio de habitação coletiva composto por 8 fogos, construído pela Câmara Municipal de Guimarães em 1975.