UMinho. Tun'Obebes organiza o XI Serenatas ao Berço

  • Publicado em Atualidade
Durante dois dias

Guimarães acolhe o XI Serenatas ao Berço, um evento que traz à Cidade Berço algumas das melhores tunas do país, nos dias 20 e 21 de abril. 

Os espetadores poderão contar com duas noites distintas. Esta sexta-feira, as tunas farão uma solene serenata à Cidade de Guimarães, no Largo da Oliveira. Já na noite de 21 de abril, o Grande Auditório do Centro Cultural Vila Flor enche-se de espírito académico e muita música num grandioso espetáculo. Nesta segunda noite, a plateia poderá contar com dois momentos muito especiais. A Tun'Obebes subirá a palco com a Afonsina - os seus homónimos e fiéis vizinhos de sala de ensaios - num momento que, de certo, ficará na memória. O segundo momento - que será inédito! - vai ver juntarem-se em palco padrinhos e afilhadas. Os profetas e as "meninas de tijolo" vão eternizar 25 anos de história partilhada num momento único.

A poucos dias da décima primeira edição do Serenatas ao Berço, a Tun'Obebes reúne as várias gerações da Tuna e prepara uma festa como só estas (futuras) Engenheiras sabem fazer. A atuação da Tun'Obebes contará com algumas estreias musicais - entre as quais um novo original -, mas não descura as melodias já conhecidas do público.

Para esta edição do festival, fazem parte do cartaz a Tuna Feminina do IPCA (TFIPCA), a Tuna Académica Feminina da Universidade de Évora (TAFUÉ), a Tuna Feminina da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (EST'eS la Tuna Feminina) e a Tuna Médica Feminina da UBI (C'a Tuna aos Saltos); a Tuna de Engenharia da Universidade do Minho (Afonsina) e a Tuna Universitária do Minho (TUM) - como tunas extra concurso - e a Ordem Profética da Universidade do Minho (OPUM DEI) - que apresentarão o festival. 

A organização do festival é da responsabilidade da Tun'Obebes - Tuna Feminina de Engenharia da Universidade do Minho. Botões e machos do casaco tijolo, tricórnio e sorrisos na cara, é como se apresentam aos públicos que as vão vendo atuar. A Tuna feminina mais antiga da Universidade do Minho, conta já com 25 anos de história e, ano após ano, tem vindo a alargar o seu repertório e o reconhecimento por Portugal fora.  Em 1992, quando se formaram, foram apadrinhadas pela Ordem Profética da Universidade do Minho que, embora não seja uma tuna, é um grupo que partilha com as "Bebes" a irreverência e a faceta boémia.

 [ Artigo originalmente publicado no dia 09.04.2018 e atualizado esta sexta-feira, 20.04.2018 ]