UMinho premiada por tecnologia que aumenta o valor nutricional dos alimentos

  • Publicado em Educação
Miguel Cerqueira e Ana Bourbon (centro), investigadores do CEB

O Centro de Engenharia Biológica (CEB) da Universidade do Minho desenvolveu uma tecnologia que permite aumentar o valor nutricional de produtos alimentares. O projeto “Nutricap” acaba de ser destacado com o prémio Food & Nutrition Award para a Investigação & Desenvolvimento.

A tecnologia encapsula compostos funcionais e bioativos (ex: vitaminas, antioxidantes) em pequeníssimas estruturas (micro e nano-hidrogéis) para as incorporar depois em alimentos. Para desenvolver estas estruturas são usadas proteínas do leite, conhecidas pelo elevado teor nutricional e pela capacidade de regular a circulação sanguínea e as atividades anti-inflamatórias e antitumorais. O Nutricap oferece à indústria alimentar a possibilidade de desenvolver produtos fortificados com antioxidantes, vitaminas e fitosteróis. 

A incorporação de compostos bioativos na forma livre tem sido usada em alimentos para potenciar uma nutrição mais rica e suplantar eventuais deficiências nutricionais. No entanto, a interação com meios alimentares e a perda de bioatividade após a passagem pelo trato gastrointestinal tem levantado vários desafios. O potencial desta inovação para aplicação no mercado tem sido explorada pela Improveat, spin-off da UMinho sediada no SpinPark, nas Caldas das Taipas, em Guimarães.

O galardão foi atribuído na 6ª edição do Food & Nutrition Awards, em Lisboa. O evento tem como objetivo destacar as mais-valias do setor agroalimentar no que diz respeito à competitividade, investigação e empreendedorismo, salientando a importância das várias fases do setor. Nas quatro categorias a concurso – Investigação e Desenvolvimento, Serviço Inovação, Iniciativa de Mobilização e Produto Inovação –, foram apurados 23 finalistas, eleitos por personalidades reconhecidas a nível académico, científico e empresarial.