Luís Castro: «Iremos certamente ter um plantel competitivo»

  • Publicado em Desporto
Novo treinador do Vitória aponta aos lugares europeus

Luís Castro foi apresentado esta segunda-feira como novo treinador do Vitória, para as próximas duas temporadas. A apresentação ficou marcada pela presença de um elevado número de adeptos na sala de imprensa do Estádio D. Afonso Henriques.

O novo técnico realçou as bases sobre o que pretende fazer no clube. "O Vitória tem um histórico muito bom e faz parte da sua história a frequência com que participa provas europeias. É isso que queremos, vamos tentar lançar um olhar sobre os lugares europeus, trabalhar com qualidade para atingir esses lugares. Sabemos que não é fácil, mas juntos, estrutura, adeptos, corpo técnico e jogadores, podemos fazer uma família interessante para alcançarmos os objetivos. É isso que seduz os treinadores para desafios desta dimensão", disse. 

A equipa técnica, liderada por Luís Castro, terá Vítor Martins, Vítor Severino e Filipe Çelikkaya, que acompanham o técnico. O novo treinador terá ainda a colaboração de Moreno e ainda de Jorge Silva, que será o treinador de guarda-redes.

Questionado sobre que estilo que irá impor no D. Afonso Henriques, Luís Castro fez uma analogia com carros a gasolina e gasóleo para lembrar que não mudar a sua forma de abordar o jogo. "O treinador é uma marca no mercado. É como quando se compra um carro. Quando se contrata um treinador porque tem determinadas características. Quando compro um carro a gasolina não vou depois meter-lhe gasóleo. O Vitória não está à espera que chegue aqui e ponha a equipa a chutar para a frente. Há uma qualidade associada, que saiu bem no FC Porto, no Rio Ave, em Chaves, não vejo porque não pode sair bem aqui no Vitória", lembrou.

Durante a sua apresentação Luís Castro usou ainda da ironia e do bom humor para falar de reforços para a próxima época. "O Messi e o Ronaldo, à partida, estão fechados. Vamos passar para o Hazard agora. É normal, sempre que há transição, haver mexidas nos planteis. Está a ser conversado com o presidente e vamos montar um plantel competitivo para ganhar muitas vezes e estar na frente da tabela. Iremos certamente ter um plantel competitivo", sublinhou.

Para o técnico transmontano, é o regresso a uma equipa que representou enquanto jogador, 33 anos depois. Luís Castro jogou no Vitória, entre 1985 e 1987. "Não deixei marca nenhuma, pouco jogava, mas treinava muito e ajudava os outros a jogar. Foram dois anos bem passados aqui. O Vitória é muito especial, tem capacidade de ser sedutor".

Já Júlio Mendes apresentou vários motivos que o levaram a esta escolha e vincou a postura de Luís Castro. "É uma vontade antiga. O facto de ter passado por Guimarães, e conhecer aquilo que é o sentir dos vitorianos. Este traço de carácter, esta forma diferente de estar no futebol, que o mister transporta e a mim me agrada, pois o futebol tem de ter mais serenidade. Diria até que o mister Luís Castro é considerado um «gentleman» no futebol. Por isso, fizemos tudo que estava ao nosso alcance para que ele hoje estivesse aqui connosco", disse.

A experiência do treinador foi ainda outro dos pontos favoráveis: "Fazia todo o sentido que a pessoa que passará a liderar este dossier durante as próximas duas épocas fosse bastante experiente nesta matéria e o mister é incontornavelmente alguém capaz de perceber o todo, a transversalidade daquilo que é o Vitória".