«Guimarães Jazz» continua este domingo com dois espetáculos

  • Publicado em Cultura
Às 17 e 21:30 horas

O Grande Auditório do Centro Cultural Vila Flor recebe este domingo, pelas 17 horas, o concerto da Big Band e Ensemble de Cordas da ESMAE, conduzida por Jeff Lederer e Mary Larose.

A vertente pedagógica do «Guimarães Jazz» é uma das dimensões mais importantes do festival, e este projeto de direção da big band e do ensemble de cordas da ESMAE, atualmente uma das mais prestigiadas instituições académicas especializadas no ensino da música em Portugal, constitui, a par com as oficinas de jazz, um dos eixos estruturantes dessa vocação formativa.

Iniciada, nos moldes atuais, em 2012, esta parceria mantém este ano a sua proposta de residência e trabalho de colaboração entre os alunos da ESMAE e o compositor designado para os dirigir, papel que este ano será assumido pelo saxofonista Jeff Lederer, um músico bem conhecido do Guimarães Jazz, e pela vocalista nova-iorquina Mary LaRose.

Assim sendo, o «Guimarães Jazz» voltará a proporcionar a um grupo de jovens músicos (de jazz e de música clássica) uma experiência profissional de elevada exigência, colocando-os em contacto com os métodos de criação musical de dois músicos reputados da cena jazzística nova-iorquina da atualidade, com uma relevante atividade na direção orquestral.

«Projeto Guimarães Jazz / Porta Jazz»

Mais tarde, às 21:30 horas, a Black Box da Plataforma das Artes e da Criatividade acolhe o espectáculo multidisciplinar «Projeto Guimarães Jazz / Porta Jazz».

No contexto da parceria entre o festival «Guimarães Jazz» e a associação «Porta-Jazz», surge este projeto de cruzamento música-teatro: uma relação milenar que, estabelecendo-se segundo múltiplas lógicas, é central à prática performativa.

Durante uma semana de residência artística, o dramaturgo Jorge Louraço Figueira escreve um texto e a atriz Catarina Lacerda interpreta-o, em colaboração com um quarteto liderado por Nuno Trocado (guitarra), com Tom Ward (saxofones, flauta, clarinete baixo), Sérgio Tavares (contrabaixo) e Acácio Salero (bateria).

O assunto central da residência é a exploração dos caminhos do som e da palavra, no confronto entre contribuições pré-definidas e improvisadas, com vista à conjugação, coletiva e coerente, das várias propostas individuais. Tudo sob o signo do jazz – que vive, ele próprio, da conjugação coletiva e coerente de várias propostas individuais.