Teatro Oficina apresentou «Auto das Máscaras» no CIAJG (vídeo)

  • Publicado em Cultura

O Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG), inaugurou o último ciclo expositivo de 2017, apresentando ao público percursos essenciais na cena artística nacional, através de duas surpreendentes exposições. 

Para assinalar a data, o Teatro Oficina "invadiu" o CIAJG, com a apresentação do Auto das Máscaras, um momento que contou com a companhia da Outra Voz e dos Velhos Nicolinos. Um espetáculo que é um percurso assombrado por um museu com um mundo lá dentro. 

O último ciclo expositivo deste ano, conta com uma mostra antológica, «Hilaritas», dedicada ao trabalho de Mumtazz, uma das mais singulares artistas do panorama nacional.

«Extática Esfinge, desenho e animismo parte II» é o título da outra exposição que habitará o CIAJG até fevereiro. Depois de «Oracular Spectacular», o Centro dedica o segundo tomo desta investigação ao desenho enquanto prática visionária, oracular, animista. A exposição reúne obras de Adriana Molder, Andrea Brandão, Carla Filipe, Catarina de Oliveira, Laetitia Morais, sara Costa Carvalho, Marta Wengorovious, Dayana Lucas e Sara Bichão, um conjunto de universos autorais em torno do entendimento expandido do desenho, por vezes nem sequer materialmente reconhecível enquanto tal.

Também o piso da coleção permanente se apresenta com uma nova montagem, integrando obras seminais da autoria de José de Guimarães, bem como a inserção de obras da coleção de arte africana em espólio no CIAJG e que não foram antes vistas. No Gabinete de Desenho, encontra-se também patente uma extensão da primeira edição da BIG - Bienal de Ilustração de Guimarães, com a exposição dedicada ao Prémio Carreira, atribuído este ano ao conceituado ilustrador Luís Filipe de Abreu, com curadoria de Jorge Silva.

 

[ Formato Sapo.pt ]

 

[ Formato YouTube.com ]