Guimarães. «Horse Lords» é uma das cinco bandas a atuar esta noite no Mucho Flow 2017

  • Publicado em Atualidade
Este sábado, no Centro para os Assuntos da Arte e Arquitetura

Os norte-americanos «Horse Lords» são uma das cinco bandas que vão atuar na 5ª edição do Mucho Flow, um festival de rock alternativo, hip-hop e eletrónica que vai decorrer este sábado, 07 de outubro, no Centro para os Assuntos da Arte e Arquitetura.

Na edição deste ano estão também os «God Colony», «Scúru Fitchádu», «Nadia Tehran» e «Chinaskee & Os Camponeses». Em comunicado, a organização apresenta o festival como “um terramoto de rock alternativo, hip-hop e eletrónica”.

“Como sempre, haverá uma seleção alternativamente eclética, apelando a mentes abertas para o que consideramos ser o som do futuro próximo”, acrescenta. O festival tem apostado na descoberta dos nomes “mais frescos” da música mundial, tendo já dado palco, em estreia nacional, a nomes como Amen Dunes ou Bitchin Bajas.

Na edição de 2017, um dos nomes fortes é «Horse Lords», um quarteto de Baltimore cuja sonoridade é uma espécie de «cocktail» que leva rock, jazz, minimalismo clássico, misturando-lhe uma infusão de sons tradicionais indianos e árabes.

Nascida na Suécia mas com raízes no Irão, «Nadia Tehran» é protesto em forma de hip-hop, combinando os sons da música eletrónica nórdica com influências do Médio Oriente, sempre com letras provocativas.

Oriundo de Londres, o duo «God Colony» apresenta uma eletrónica “crua e industrial”, que oscila entre um ambiente mais atmosférico, com batidas mais lentas, e um som mais acelerado, com influências de hip-hop.

«Chinaskee & Os Camponeses» são um projeto de Miguel Gomes, que foi buscar inspiração a «Tame Impala» e «Arctic Monkeys».

Já «Scúru Fitchádu» é o projeto mais recente do produtor Sette Sujidade, que desbrava novas linguagens entre a tradição do funaná cabo-verdiano e a fúria do punk.

[ Artigo originalmente publicado no dia 17.08.2017 e atualizado este sábado, 07.10.2017 ]