Câmara de Guimarães atribui 1,3 milhões de euros para projetos na área social (vídeo)

  • Publicado em Concelho
87 entidades apoiadas

A atribuição de apoios financeiros a instituições de solidariedade social para o ano em curso totaliza 1.328.441,40 euros, distribuídos por 87 entidades do concelho de Guimarães. Esta terça-feira, 26 de junho, decorreu a cerimónia da assinatura de protocolos na Plataforma das Artes.

A qualidade, elevação, exigência e rigor nos projetos apresentados ao Município foram evidenciadas nesta cerimónia que contemplou as instituições, que apresentaram candidaturas, inscritas no Registo Municipal das Instituições de Solidariedade Social de Guimarães (RMISG).

O Presidente da Câmara de Guimarães, Domingos Bragança, enalteceu todas as pessoas que se dedicam às causas sociais e salientou “o nível das competências técnicas cada vez mais exigentes para termos as nossas instituições mais capacitadas e com possibilidade de respostas”. O presidente da Autarquia mencionou que “os projetos apresentados demonstram que é possível inovar e criar, no sentido de ajudar as nossas crianças e idosos, através da aposta em melhores condições de conforto” e apreciou que “muitos destes projetos têm em conta a educação e cultura no quotidiano das instituições e isso humaniza as próprias instituições”, constatou.

Domingos Bragança disse que o trabalho na área social é “exigente” e a Câmara Municipal está sempre disponível para apoiar novos projetos, no âmbito de uma melhor qualidade de vida para os vimaranenses. “Estamos atentos ao universo das nossas Instituições Sociais e sabemos que há projetos que precisam de apoio extraordinário da Câmara. Estamos abertos ao diálogo para avaliar projetos que entendam ser excecional, inovadores, e venham a preencher lacunas. Estamos disponíveis para receber, estudar e analisar esses projetos”, referiu o Presidente da Câmara Municipal.

Entre os parâmetros para a atribuição destes apoios, destacam-se a qualidade e interesse dos projetos, a continuidade e qualidade de execuções anteriores, a criatividade e a inovação, a consistência e adequação do orçamento, a capacidade de angariar outras fontes de financiamento e o número potencial de beneficiários.

A vereadora da Ação Social, Paula Oliveira, conferiu a “qualidade, exigência e rigor nos projetos apresentados” enumerando as preocupações na resposta a áreas como a infância, educação, juventude e terceira idade. Realçou também que “existem projetos com a preocupação com o desenvolvimento sustentável e as questões do ambientais”, no despertar de um tema que tem sido colocado nas prioridades do Município de Guimarães.

 

[ Formato Sapo.pt ]

 

[ Formato YouTube.com ]