Guimarães. GNR deteve três homens no âmbito de um processo de furto e viciação de veículos

  • Publicado em Concelho
Detidos têm idades entre os 30 e os 50 anos

O Comando Territorial de Braga, através do Núcleo de Investigação Criminal de Fafe, ontem, dia 29 de maio, deteve três homens, com idades compreendidas entre os 30 e os 50 anos, pela prática de crimes de detenção de arma proibida, tráfico de estupefacientes e furto e viciação de viaturas, no concelho de Guimarães.

No âmbito de um processo de furto e viciação de veículos, que decorria há cerca de oito meses e visou um grupo de indivíduos que atuava de forma organizada, o qual se dedicava ao furto e posterior viciação de viaturas, com o intuito de procederam a sua venda.

O grupo tinha uma hierarquia e funções bem definidas, desde indivíduos que efetuavam o furto das viaturas, passando por aqueles que realizavam a viciação, finalizando no vendedor das viaturas ao público. No decorrer das diligências foi ainda apurado que pelo menos um dos indivíduos se dedicava também ao tráfico de produtos estupefacientes.

Na operação, foram efetuadas 12 buscas, das quais oito domiciliárias e quatro em oficinas de reparação automóvel, nos concelhos de Guimarães e Santa Maria da Feira, resultando na apreensão de quatro veículos, alvo de viciação; 15 050 euros em numerário; 210 doses de cocaína; duas balanças de precisão; três armas elétricas – taser; uma espingarda caçadeira; duas pistolas calibre 6.35mm transformadas; um revólver e diverso material pirotécnico de venda proibida ao público.

Dos detidos, dois foram notificados para se apresentarem no tribunal de Guimarães, durante o dia de hoje, 30 de maio, ficando o terceiro detido nas instalações da Guarda a fim de ser presente a primeiro interrogatório judicial, no Tribunal de Famalicão.

As buscas foram presididas pelo Juiz de Instrução do Tribunal de Guimarães, tendo a operação empenhado militares dos Destacamentos Territoriais de Fafe, Braga, Barcelos, Guimarães e Póvoa de Lanhoso, Destacamento de Intervenção de Braga, dos Comandos Territoriais de Viana do Castelo e Aveiro e contou ainda com o apoio da Polícia de Segurança Pública.