Palestra de Rui L. Reis na UMinho assinala atribuição do IET Harvey Engineering Research Award

  • Publicado em Atualidade
Esta quarta, em Braga

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, está quarta-feira, dia 16, na Universidade do Minho para a cerimónia que assinala a atribuição do IET Harvey Engineering Research Award a Rui L. Reis, diretor do Grupo 3B’s, da nova unidade orgânica da UMinho - o Instituto de Investigação em Biomateriais, Biomiméticos e Biodegradáveis (I3Bs), e vice-reitor para a Investigação e Inovação da UMinho. Este é um dos maiores prémios científicos do mundo na área da Engenharia.

Este evento, que decorre após a entrega do Prémio em Londres, em março passado, inicia-se às 18 horas, no Salão Medieval da Reitoria, no Largo do Paço, Braga, com as intervenções do reitor Rui Vieira de Castro, do presidente do Comité de Seleção do Prémio, Sir John O’Reilly, além do ministro Manuel Heitor. Destaca-se ainda a palestra “Eng The Cancer”, aberta ao público e proferida pelo cientista premiado Rui L. Reis, seguindo-se uma sessão de perguntas e respostas moderada por John O’Reilly. A iniciativa insere-se nas celebrações oficiais do Dia Nacional do Cientista. 

Sobre o Prémio

O galardão é atribuído todos os anos, e em cada três anos à área da Engenharia Médica, pela “Institution of Engineering and Technology” (IET), que tem 170 mil membros de 150 países. O prémio monetário, no valor de quase 400 mil euros, vai ser usado para criar modelos inovadores e funcionais de cancro em 3D, que possam ajudar a prever a eficácia de medicamentos, evitando o recurso a diversos testes em animais e alguns ensaios clínicos. “É um grande privilégio ser galardoado com este conceituado prémio, sendo o primeiro cientista cuja carreira foi toda feita num país - Portugal - onde a língua não é a inglesa. Todos os vencedores anteriores trabalhavam no Reino Unido, EUA, Austrália ou Singapura”, declarou Rui L. Reis. 

Trata-se de um prémio a que não são aceites candidaturas, podendo apenas apresentar propostas, baseadas no currículo do candidato e numa proposta de trabalho cientifico para cinco anos, os candidatos pré-selecionados por um júri internacional. O júri elegeu Rui L. Reis entre várias figuras mundiais de topo, enaltecendo “as suas contribuições notáveis e as décadas de investigação excelência na área da engenharia de tecidos 3D para novas terapias regenerativas e para o desenvolvimento de modelos de doença”. John O’Reilly sublinhou: “Esta distinção reconhece o seu percurso de investigação e o impressionante recorde de publicações e citações. Os ensaios sobre a eficácia de novos medicamentos contra o cancro continuam a ser um dos maiores desafios que os cientistas enfrentam e a investigação desenvolvida por Rui L. Reis e a sua equipa pode acelerar a avaliação de novos medicamentos e a aprovação de novos tratamentos”. O cientista da UMinho recebeu também em março o prémio internacional UNESCO de Investigação em Ciências da Vida, o que evidencia a forte multidisciplinaridade do seu trabalho.