III Encontro de Psicogeriatria: Comportamentos Aditivos no Idoso no Hospital de Guimarães

  • Publicado em Atualidade
Na próxima segunda-feira

O Hospital da Senhora da Oliveira Guimarães, através do seu Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental, está a organizar o III Encontro de Psicogeriatria, sob o tema «Comportamentos Aditivos no Idoso». A iniciativa terá lugar esta segunda-feira, 16 de abril, no auditório do unidade hospitalar.

O Médico Psiquiatra do DPSM do Hospital de Guimarães, Luís Fonseca, refere que «o Abuso e a Dependência de Substâncias são problemas de saúde habitualmente associados aos jovens. No entanto, estas patologias não são específicas de nenhuma faixa etária. Os dados demográficos oficiais da Europa revelam um envelhecimento pronunciado da população. Durante o século XX o número de europeus com idade igual ou superior a 65 anos triplicou e a esperança de vida mais do que duplicou. Estima-se que em 2028 mais de um quarto da população europeia tenha idade igual ou superior a 65 anos. Por sua vez, estima-se que o número de idosos com problemas aditivos mais do que duplicará entre 2001 e 2020. O número crescente de idosos com patologia aditiva colocará novas e maiores exigências nos serviços clínicos, assim como trará novas implicações socioeconómicas e familiares. Em Portugal as exigências são e serão semelhantes. As estatísticas oficiais revelam que Portugal, por exemplo, é um dos países do mundo com maior taxa de consumo de álcool per capita (dados da OMS de 2014) e apresenta um elevado consumo de benzodiazepinas (Dados do Infarmed sobre Psicofármacos)».

O Encontro pretende ser um espaço de debate entre especialistas na Psicogeriatria de forma a sensibilizar a população sobre esta problemática. «Parece-nos importante promover uma discussão séria dos Comportamentos Aditivos do Idoso, bem presentes no nosso quotidiano clínico, subordinando o tema do III Encontro de Psicogeriatria do Hospital a esta problemática. Estamos seguros de que o conhecimento que será transmitido por palestrantes de reconhecida idoneidade clínica e científica contribuirá para um enriquecimento das aptidões profissionais dos participantes. Esperamos também que o Encontro contribua para sensibilizar a população em geral e os organismos oficiais para a temática debatida, incentivando a realização de outros eventos dedicados ao mesmo assunto, assim como alertando para a necessidade de aplicar medidas concretas para uma abordagem adequada da problemática aditiva do idoso», conclui Luís Fonseca.

[ Artigo originalmente publicado no dia 10.04.2018 e atualizado esta segunda-feira, 16.04.2018 ]