Cursos curtos do superior já atraem 12 mil alunos, mas procura abrandou

  • Publicado em Atualidade

Quatro anos depois de terem sido criados, os cursos técnicos superiores profissionais (Tesp, na sigla usada pelas instituições), formações de dois anos ministradas exclusivamente no ensino politécnico, têm cerca de 12 mil inscritos. O ritmo da procura abrandou neste ano letivo face aos dois anos anteriores, mas, ainda assim, o número total de matriculados cresceu 10,5% face a 2016/17, segundo estimativas do Público feitas com base nos dados fornecidos pelas instituições de ensino.

Os responsáveis dos politécnicos concordam que o crescimento desta oferta está a estabilizar, mas a tendência para os próximos anos ainda é de aumento, acreditam. Desde a sua criação, em 2014, pelo anterior Governo, que os cursos técnicos superiores profissionais têm tido um crescimento contínuo.

Depois de um arranque frouxo, em 2014/15 apenas 395 alunos ingressaram nestes cursos, o ritmo de crescimento nos dois anos seguintes foi evidente. Em 2015/16 já estavam inscritos 6430 alunos (um salto superior a 1500%) e em 2016/17 o número praticamente duplicou (para 11.048).