«Perante o nosso público, podemos vencer esta equipa e o Konyaspor»

  • Publicado em Atualidade
Pedro Martins analisou o jogo no Vélodrome

O treinador do Vitória admite que o desaire em Marselha complicou as possibilidades de apuramento para a próxima fase da Liga Europa, mas acredita que ainda é possível alcançar essa meta, caso consiga triunfar diante Marselha e Konyaspor, no D. Afonso Henriques.

"Fica, mas não é definitivo, está tudo em aberto. Temos dois jogos agora em casa. Acima de tudo, quero realçar o jogo que fizemos, nomeadamente a primeira parte. Foi uma entrada muito personalizada, com muita qualidade. Taticamente estivemos perfeitos, em todos os momentos da primeira parte. Criámos dificuldades ao adversário, fomos eficientes nas bolas paradas.

A qualidade do adversário obrigou-nos a recuar na segunda parte. Tivemos de trabalhar imenso, tivemos a oportunidade para fazer o 2-2. Antes, eles também tiveram aquela oportunidade na bola à barra.

Acima de tudo, temos a esperança que ainda é possível. Perante o nosso público, podemos vencer esta equipa e o Konyaspor, e vai ficar tudo em aberto.

RAFAEL MARTINS

"Chegámos aqui a acreditar que conseguiríamos os três pontos. Entrámos determinados, acho que foi um jogo que terminou com o desejo de mais. Procurámos sempre fazer o segundo golo. Jogámos bem, na minha opinião. Acho que foi um resultado injusto.

"Falhámos em dois lances, levámos dois golos. Sabíamos que a equipa deles era forte nas transições, nós trocámos bem a bola, mas infelizmente não conseguimos marcar".

"A nossa expectativa era termos o maior número de pontos possíveis. Temos apenas um, mas nada está perdido. Temos mais três jogos. Daqui a 15 duas temos um jogo em casa muito importante".

"Temos um jogo importantíssimo em casa e acho que merecemos ganhar os três pontos", realçou Rafael Martins.

JOÃO AURÉLIO

"Antes de mais, faltou marcar mais que o adversário. Entrámos fortes no jogo, que era esse o objetivo para conquistar os três pontos. Marcámos e depois não conseguimos segurar a vantagem que tínhamos", disse o jogador vitoriano.

"Lutámos, fica a boa imagem da equipa. Vamos fazer tudo para conseguir os objetivos que ainda estão intactos".

"Visto que temos um ponto, o próximo importante é o mais importante de todos. Se não conseguirmos os três pontos no próximo jogo, podemos atirar a toalha ao chão, porque matematicamente será quase impossível chegar lá".

 

"Viu-se a determinação da equipa do princípio ao fim. Conquistámos um golo e depois fica o amargo por termos consentido dois golos à equipa adversária, que ditou a derrota. Mas temos de levantar a cabeça e seguir em frente", concluiu o atleta do Vitória.